PRÉ- Inscrição

SOBRE NÓS

ESSM está comprometida com a verdade de que Deus ama as pessoas, deu a Si mesmo por elas e deu à Sua Igreja poder sobrenatural para trazer indivíduos e cidades à integridade. A escola enfatiza que os crentes precisam retornar ao ministério de sinais e maravilhas – para ministrar em amor, verdade e poder de Deus

E estamos aqui para encorajar e equipar gerações, para descobrir os seus dons e ajudar a buscar apaixonadamente a transformação nas suas esferas de influência dadas por Deus.

VALORES CENTRAIS

DEUS É BOM
  • Jesus revela o amor e as prioridades do Pai em seu ministério e sacrifício – Ele é teologia perfeita (João 1:1, 18; João 3:16-17; João 8:1-11, 19; Hb 1:1-3 
  •   O inimigo veio para roubar e matar, mas Jesus veio para destruir as obras demoníacas e nos dar vida abundante (João 10:9-11; 1 João 3:8; Mt 9:11-13)
  • “Deus é bom” permanece verdadeiro independentemente das circunstâncias que experimentamos (Naum 1:7; Rom. 5:8; Rom. 8:28-32; Tiago 1:17)
  • Deus se descreve como gracioso e compassivo, lento para a ira e abundante em amor, então Deus é bom e por natureza “naturalmente” de bom humor (Sl 103:10-14; Nm 14:18; Sof. 3: 17; Mt 7:11)
  • Deus é generoso. Lembramos e re-contamos o que Ele fez em testemunhos porque Ele é capaz e está disposto a fazê-lo novamente (João 3:16; Ap 19:10; Josué 4:1-9; Ap 12:11)
Salvação cria identidade
  • Jesus obteve vitória absoluta! Somos perdoados e libertos do poder do pecado, doença, mentira e tormento do inimigo, então agora operamos no poder da justiça, cura, verdade e alegria! (Rom. 6:4; Rom. 8:1-4; 2 Cor.5:17; Gal.2:20)
  • Somos adotados como realeza na família de Deus e ordenados a ajudar outros a se reconciliarem com Deus e voltarem para “casa” (João 1:12; Romanos 8:14-16; 2 Coríntios 5:18-21)
  • Somos simultaneamente servos, filhos e amigos de confiança de nosso Senhor (Mateus 23:10-12; João 15:15; João 1:12)
  • Somos novas criaturas, não meramente “pecadores salvos pela graça”, mas santos que receberam sua justiça (2Co 5:17; 2Co 5:21; Rm 1:17; Rm 3:28; Rm 8:29-30)

Deus obteve vitória absoluta! Somos perdoados e libertos do poder do pecado, doença, mentira e tormento do inimigo, então agora operamos no poder da justiça, cura, verdade e alegria! (Rom. 6:4; Rom. 8:1-4; 2 Cor.5:17; Gal.2:20)Somos adotados como realeza na família de Deus e ordenados a ajudar outros a se reconciliarem com Deus e voltarem para “casa” (João 1:12; Romanos 8:14-16; 2 Coríntios 5:18-21)Somos simultaneamente servos, filhos e amigos de confiança de nosso Senhor (Mateus 23:10-12; João 15:15; João 1:12)Somos novas criaturas, não meramente “pecadores salvos pela graça”, mas santos que receberam sua justiça (2Co 5:17; 2Co 5:21; Rm 1:17; Rm 3:28; Rm 8:29-30)

Graça Responsável
  • Experimentamos tanto o amor surpreendente e imerecido que Deus tem por nós quanto o seu poder contínuo de nos transformar. O seu amor e poder transformadores são inseparáveis ​um do outro. (João 3:16-17; Efésios 1:4-5; Apoc. 13:8; Mat. 25:34)
  • Deus escandalosamente ama a Sua criação “perdida” e, estende a Sua graça, capacitando-nos a amá-Lo e a amar uns aos outros num padrão mais alto do que a lei (Rm 5:7-8; 2Co 5:14-18; Rm 6:11 -14)
  • Experimentar profundamente a graça é a chave para vencer o pecado e o fracasso. O amor do Pai impede-nos de nos concentrarmos no pecado ou nos escondermos de vergonha se falharmos. A graça ensina-nos a justiça. (Efésios 3:14-21; 2 Coríntios 3:17-18; João 17:21-23
  •  Experimentar a generosidade de Deus na graça quebra a mentalidade de que “não haverá o suficiente” e leva-nos a ser generosos com todos os nossos recursos, assim como nosso Pai. (Rom. 8:31-32; Mat. 7:11; Jer. 29:11; 2 Cor. 9:6-7; Atos 3:32-35)

Experimentamos tanto o amor surpreendente e imerecido que Deus tem por nós quanto seu poder contínuo de nos transformar. Seu amor e poder transformadores são inseparáveis ​um do outro. (João 3:16-17; Efésios 1:4-5; Apoc. 13:8; Mat. 25:34)
Deus escandalosamente ama Sua criação “perdida” e estende a graça, capacitando-nos a amá-Lo e a outros em um padrão mais alto do que a lei (Rm 5:7-8; 2Co 5:14-18; Rm 6:11 -14)
Experimentar profundamente a graça é a chave para vencer o pecado e o fracasso. O amor do Pai nos impede de nos concentrarmos no pecado ou nos escondermos de vergonha se falharmos. A graça nos ensina a justiça. (Efésios 3:14-21; 2 Coríntios 3:17-18; João 17:21-23)
• Experimentar a generosidade de Deus na graça quebra a mentalidade de que “não haverá o suficiente” e nos leva a ser generosos com todos os nossos recursos, assim como nosso Pai. (Rom. 8:31-32; Mat. 7:11; Jer. 29:11; 2 Cor. 9:6-7; Atos 3:32-35)

Foco na Sua Presença
  • Deus deleita-se em nós e sempre desejou estar conosco. Nós concentramo-nos na Sua presença porque descobrimos que Ele está focado em nós (Efésios 1:4-5; Sof. 3:17; João 6:44; Jer. 31:3; Salmos 1:1-3)
  • O nosso primeiro ministério é para Deus. Quando O reconhecemos, somos movidos a adorar com paixão alegre e encontrá-Lo em oração, na Palavra e na comunhão ao longo do dia (Sl 27:4; Lc 10:42; Tg 4:8; Sl 23:6; Sal. 26:8; 1 Cor. 6:19-20, Sal. 1:1-3)
  • Cultivar propositadamente a fome pela presença manifesta de Deus e abertura às experiências do Espírito Santo aprofunda nossa amizade com Deus e a consciência de que carregamos a Sua presença pelo bem do mundo (Sl 73:28; Jo 1:16; Sl 107:9 ; Mat. 5:6; Is. 55:1-2; 1 Cor. 3:16; Atos 2:42-47)
  • Como estilo de vida, concentramo-nos Nele enquanto ministramos e tentamos dizer o que Deus está a dizer e fazer o que Ele está a fazer (João 5:19; 5:30; 12:49-50; 14:10; 1 João 4: 17)

Deus se deleita em nós e sempre desejou estar conosco. Nós nos concentramos em Sua presença porque descobrimos que Ele está focado em nós (Efésios 1:4-5; Sof. 3:17; João 6:44; Jer. 31:3; Salmos 1:1-3)
Nosso primeiro ministério é para Deus. Quando O reconhecemos, somos movidos a adorar com paixão alegre e encontrá-Lo em oração, na Palavra e na comunhão ao longo do dia (Sl 27:4; Lc 10:42; Tg 4:8; Sl 23:6; Sal. 26:8; 1 Cor. 6:19-20, Sal. 1:1-3)
Cultivar propositadamente a fome pela presença manifesta de Deus e abertura às experiências do Espírito Santo aprofunda nossa amizade com Deus e a consciência de que carregamos Sua presença pelo bem do mundo (Sl 73:28; Jo 1:16; Sl 107:9 ; Mat. 5:6; Is. 55:1-2; 1 Cor. 3:16; Atos 2:42-47)
Como estilo de vida, nos concentramos nele enquanto ministramos e tentamos dizer o que Deus está dizendo e fazer o que Ele está fazendo (João 5:19; 5:30; 12:49-50; 14:10; 1 João 4: 17)

Criar uma Família Saudável
  • Somos adotados na família de Deus, então criamos intencionalmente uma família e comunidade onde quer que vamos. (Efésios 2:19; Atos 2:44-47; Gálatas 6:10; 1 Pedro 2:17)
  • Pensamos como membros saudáveis ​da família fazer o que é melhor para todo o ambiente, submetendo-nos uns aos outros e não sendo egoístas (Efésios 5:21; Gal. 5:13; Filipenses 2:3; Rom. 12:9- 21)
  • Propositadamente aumentamos nossa capacidade individual de confiar e sermos confiáveis ​nos relacionamentos da aliança à medida que nos fortalecemos e nos confrontamos para viver quem realmente somos (Mt 18:15; 1Co 4:14-21; 1Ts 5: 14)
  • Somos leais, e a lealdade é demonstrada da forma mais radical quando as pessoas falham. Não os castigamos e os abandonamos para salvar a cara ou convencer o mundo de que odiamos o pecado, mas trabalhamos para restaurá-los. (Mat. 18:15; João 8:1-11; Gal. 6:1; Sal. 141:5; 1 Cor. 4:21)

Somos adotados na família de Deus, então criamos intencionalmente família e comunidade onde quer que vamos. (Efésios 2:19; Atos 2:44-47; Gálatas 6:10; 1 Pedro 2:17)
Pensamos como membros saudáveis ​da família fazendo o que é melhor para todo o ambiente, submetendo-nos uns aos outros e não sendo egoístas (Efésios 5:21; Gal. 5:13; Filipenses 2:3; Rom. 12:9- 21)
Propositadamente aumentamos nossa capacidade individual de confiar e sermos confiáveis ​nos relacionamentos da aliança à medida que fortalecemos e nos confrontamos para viver quem realmente somos (Mt 18:15; 1Co 4:14-21; 1Ts 5: 14)
• Somos leais, e a lealdade é demonstrada de forma mais radical quando as pessoas falham. Não os castigamos e os abandonamos para salvar a cara ou convencer o mundo de que odiamos o pecado, mas trabalhamos para restaurá-los. (Mat. 18:15; João 8:1-11; Gal. 6:1; Sal. 141:5; 1 Cor. 4:21)

A Palavra de Deus Transforma
  • O objetivo das Escrituras é colocar-nos num relacionamento com o Autor e transformar-nos à Sua semelhança (2 Tm 3:15-17; Jo 1:14; Dt 29:29)
  • Encontramos Deus na Palavra e a graça (amor e poder) é liberada nas nossas vidas. Ao estudarmos as Escrituras, elas ensinam-nos quem é Deus, quem somos e como Ele quer que vivamos (Romanos 10:17; 1 Tessalonicenses 2:13; Romanos 10:17; Colossenses 3:16)
  • A Palavra de Deus é a fonte de autoridade infalível pela qual julgamos todo discernimento e revelação profética (Dt. 4:2; 1 Tm. 3:15-17; Pv. 30:5-6; Ap. 22:18- 19)

O objetivo das Escrituras é nos colocar em relacionamento com o Autor e nos transformar à Sua semelhança (2 Tm 3:15-17; Jo 1:14; Dt 29:29)
Encontramos Deus na Palavra, e a graça (amor e poder) é liberada em nossas vidas. Ao estudarmos as Escrituras, elas nos ensinam quem é Deus, quem somos e como Ele quer que vivamos (Romanos 10:17; 1 Tessalonicenses 2:13; Romanos 10:17; Colossenses 3:16).
• A Palavra de Deus é a fonte de autoridade infalível pela qual julgamos todo discernimento e revelação profética (Dt. 4:2; 1 Tm. 3:15-17; Pv. 30:5-6; Ap. 22:18- 19)

Jesus é o modelo de ministério
  • JESUS É O NOSSO MODELO DE MINISTÉRIO
  • Todo crente é um ministro sobrenatural através do qual sinais e maravilhas devem seguir porque Jesus prometeu que sinais seguiriam aqueles que cressem, e que faríamos obras ainda maiores do que Ele fez (Marcos 16:15-18; João 14:12-14; Marcos 11:23; Atos 2:17-18)
  • Devemos ao mundo um encontro com Deus e um convite à salvação porque Jesus enviou-nos ao mundo, assim como o Pai O enviou (Lucas 10:1-23; Mateus 5:14; João 20:21; João 17:18; Mateus 28:18-19)
  • Nada é impossível para Deus, então nenhuma pessoa ou situação está além da Sua capacidade de trazer restauração completa (Lucas 1:34-37; Mateus 17:20; Marcos 10:25-27; 1 Coríntios 6:9-11)
  • A fé exige que ultrapassemos o medo e assumamos riscos enquanto humildemente honramos o ambiente em que estamos a ministrar (Mt 9:28-29; Mt 17:2; Mt 14:24-33; Atos 3:1-10; Hb 11: 1; Tiago 2:14-18)

Todo crente é um ministro sobrenatural através do qual sinais e maravilhas devem seguir porque Jesus prometeu que sinais seguiriam aqueles que cressem, e que faríamos obras ainda maiores do que Ele fez (Marcos 16:15-18; João 14:12-14; Marcos 11:23; Atos 2:17-18)
Devemos ao mundo um encontro com Deus e um convite à salvação porque Jesus nos enviou ao mundo assim como o Pai o enviou (Lucas 10:1-23; Mateus 5:14; João 20:21; João 17:18; Mateus 28:18-19)
Nada é impossível para Deus, então nenhuma pessoa ou situação está além de Sua capacidade de trazer restauração completa (Lucas 1:34-37; Mateus 17:20; Marcos 10:25-27; 1 Coríntios 6:9-11)
A fé exige que ultrapassemos o medo e assumamos riscos enquanto humildemente honramos o ambiente em que estamos ministrando (Mt 9:28-29; Mt 17:2; Mt 14:24-33; Atos 3:1-10; Hb 11: 1; Tiago 2:14-18)

Livre e Responsável
  • LIVRE E RESPONSÁVEL
  • Cristo morreu para nos libertar da lei do pecado e da morte, do medo e da vergonha para nos estabelecer em liberdade para que possamos viver e amar como filhos gloriosos de Deus (2 Coríntios 5:17; Romanos 8:1-2, 19 -21; Rm 6:4 e 14-22)
  • A liberdade é muito pessoal, mas não é egocêntrica. As Escrituras dizem que nos foi dada liberdade para servir uns aos outros em amor (Gl 5:13-15; 1Co 8:9-13; 1Co 9:19; Rm 14 e 15)
  • Liberdade e responsabilidade não podem ser separadas. Nós experimentamos a liberdade quando somos capazes de nos controlar. Assim, cooperamos com o Espírito Santo à medida que Ele produz o fruto do domínio próprio em nós (Gl 5:16-25; Rm 8:12-13; 2 Pe 1:5-9)
  • Nós esforçamos-nos para garantir que o “tamanho” de nosso autocontrole continue a crescer e permaneça maior do que o tamanho de nossa influência (Efésios 4:1; Colossenses 1:10; 1 Coríntios 6:18-20)

Cristo morreu para nos libertar da lei do pecado e da morte, do medo e da vergonha para nos estabelecer em liberdade para que possamos viver e amar como filhos gloriosos de Deus (2 Coríntios 5:17; Romanos 8:1-2, 19 -21; Rm 6:4 e 14-22)
A liberdade é muito pessoal, mas não é egocêntrica. As Escrituras dizem que nos foi dada liberdade para servir uns aos outros em amor (Gl 5:13-15; 1Co 8:9-13; 1Co 9:19; Rm 14 e 15)
Liberdade e responsabilidade não podem ser separadas. Nós experimentamos a liberdade quando somos capazes de nos controlar. Assim, cooperamos com o Espírito Santo à medida que Ele produz o fruto do domínio próprio em nós (Gl 5:16-25; Rm 8:12-13; 2 Pe 1:5-9)
Nós nos esforçamos para garantir que o “tamanho” de nosso autocontrole continue a crescer e permaneça maior do que o tamanho de nossa influência (Efésios 4:1; Colossenses 1:10; 1 Coríntios 6:18-20)

Honra afirma valores

A honra reconhece e afirma quão valiosas e poderosas as outras pessoas são porque elas são feitas à Sua imagem e Ele morreu para restaurá-las no relacionamento. Somos significativos (Gn 1:26; Ef 4:22-24; Rm 12:10)
O nível de valor que temos uns para os outros influencia a medida do impacto que temos uns sobre os outros (Mateus 10:41; João 13:35; Filipenses 2:1-4)
Chamamos o melhor das pessoas e as celebramos apesar de nossas diferenças, respondendo às pessoas com base em quem somos e em sua identidade dada por Deus, não simplesmente em seu comportamento ou arutodefinição (1 Coríntios 12:18; 24- 26, 14:3; Fil. 4:8)
A honra deve ser demonstrada por meio de um respeito consistente em palavras e ações para com aqueles que lideramos, seguimos, amamos e discordamos. A honra evita controlar os outros, mas confronta, limita e disciplina quando necessário (1 Cor. 13:1-7; 1 Cor. 4:13; 2 Tim. 2:11-16)

  • A honra reconhece e afirma quão valiosas e poderosas as outras pessoas são porque elas são feitas à Sua imagem e Ele morreu para restaurá-las no relacionamento. Somos significativos (Gn 1:26; Ef 4:22-24; Rm 12:10)
  • O nível de valor que temos uns para os outros influencia a medida do impacto que temos uns sobre os outros (Mateus 10:41; João 13:35; Filipenses 2:1-4)
  • Chamamos o melhor das pessoas e as celebramos apesar de nossas diferenças, respondendo às pessoas com base em quem somos e na sua identidade dada por Deus, não simplesmente no seu comportamento ou arutodefinição (1 Coríntios 12:18; 24- 26, 14:3; Fil. 4:8)
  • A honra deve ser demonstrada por meio de um respeito, consistente em palavras e ações para com aqueles que lideramos, seguimos, amamos e discordamos. A honra evita controlar os outros, mas confronta, limita e disciplina quando necessário (1 Cor. 13:1-7; 1 Cor. 4:13; 2 Tim. 2:11-16)
O Reino dEle está a avançar
  • Temos um Deus grande e o diabo é pequeno e derrotado! Sim, estamos em uma batalha, mas o resultado não é duvidoso (1 João 4:4; Romanos 8:31-39; João 12:31; 1 João 2:13; 1 João 5:4; Atos 4: 23-31; Marcos 5:1-11)
  • Acreditamos e vivemos a oração: “Venha o teu reino, seja feita a tua vontade assim na terra como no céu”. Portanto, fazemos parceria com o Rei de maneiras naturais e sobrenaturais para criar misericórdia, justiça e justiça até que Ele venha (Mt 6:9-10; Mat. 10:42; Mat. 25:40; Mat. 10:7-8 ; João 14:12)
  • Todo crente está no ministério em tempo integral porque Deus está promovendo Seu Reino, não apenas construindo Sua igreja. Nosso trabalho e esforço, seja grande ou pequeno, dentro ou fora da igreja, é sagrado e valioso para Deus (Col. 3:23-24; Dan. 6:3; Prov. 22:29; Is. 60:1-5 ; Mat. 13:31-32)
  • À medida que o reino avança, haverá resistência e conflito, mas esperamos que a cultura mude quando as pessoas chegarem à salvação e tomarem o seu lugar no plano de Deus para o mundo (João 15:19-21; 2 Coríntios 4:8-11; 2 Coríntios 12:10; Lucas 12:11-12; João 16:33; Atos 4:23-31)

Temos um Deus grande e o diabo é pequeno e derrotado! Sim, estamos em uma batalha, mas o resultado não é duvidoso (1 João 4:4; Romanos 8:31-39; João 12:31; 1 João 2:13; 1 João 5:4; Atos 4: 23-31; Marcos 5:1-11)
Acreditamos e vivemos a oração: “Venha o teu reino, seja feita a tua vontade assim na terra como no céu”. Portanto, fazemos parceria com o Rei de maneiras naturais e sobrenaturais para criar misericórdia, justiça e justiça até que Ele venha (Mt 6:9-10; Mat. 10:42; Mat. 25:40; Mat. 10:7-8 ; João 14:12)
Todo crente está no ministério em tempo integral porque Deus está promovendo Seu Reino, não apenas construindo Sua igreja. Nosso trabalho e esforço, seja grande ou pequeno, dentro ou fora da igreja, é sagrado e valioso para Deus (Col. 3:23-24; Dan. 6:3; Prov. 22:29; Is. 60:1-5 ; Mat. 13:31-32)
À medida que o reino avança, haverá resistência e conflito, mas esperamos que a cultura mude quando as pessoas chegarem à salvação e tomarem seu lugar no plano de Deus para o mundo. (João 15:19-21; 2 Coríntios 4:8-11; 2 Coríntios 12:10; Lucas 12:11-12; João 16:33; Atos 4:23-31)

Esperança está na noiva gloriosa
  • Acreditamos que a Igreja cumprirá com sucesso a grande comissão de Cristo de fazer discípulos em todas as nações, o que significa que as nações serão transformadas (Mat. 28:18-20; Atos 1:8; 1 João 5:14-15; Is. 54:3-5; Is. 60)
  • Trabalhamos para deixar um legado e herança para as gerações futuras, ansiamos pela volta do Senhor, mas não sabemos quando Ele virá; portanto, temos uma visão de longo prazo (Prov. 13.22; Is. 9:6-7; Is. 2:4; Is. 11:5-7; Mat. 25:14-29; Ap. 12:11)
  • Não estamos a procurar escapar do mundo, mas ver a vitória de Cristo manifestada em indivíduos e nações mesmo em face de resistência e conflito (Lucas 10:2-3; Mat. 28:18-19; Fil. 3:12-14 ; Heb. 12:1-3; Ap. 11:15)
  • A Igreja é chamada a vencer em todos os momentos – em tempos de sofrimento e perseguição e em tempos de prosperidade e grande influência (João 16:33; Sal. 188:6; Is. 41:10; 1 João 4:4; É . 54:17; Sal. 34:19)

Acreditamos que a Igreja cumprirá com sucesso a grande comissão de Cristo de fazer discípulos de todas as nações, o que significa as nações, o que significa que as nações serão transformadas. (Mat. 28:18-20; Atos 1:8; 1 João 5:14-15; Is. 54:3-5; Is. 60)
Trabalhamos para deixar um legado e herança para as gerações futuras, ansiamos pela volta do Senhor, mas não sabemos quando Ele virá; portanto, temos uma visão de longo prazo. (Prov. 13.22; Is. 9:6-7; Is. 2:4; Is. 11:5-7; Mat. 25:14-29; Ap. 12:11)
Não estamos procurando escapar do mundo, mas ver a vitória de Cristo manifestada em indivíduos e nações mesmo em face de resistência e conflito (Lucas 10:2-3; Mat. 28:18-19; Fil. 3:12-14 ; Heb. 12:1-3; Ap. 11:15)
A Igreja é chamada a vencer em todos os momentos – em tempos de sofrimento e perseguição e em tempos de prosperidade e grande influência (João 16:33; Sal. 188:6; Is. 41:10; 1 João 4:4; É . 54:17; Sal. 34:19)

VIDA DE UM AVIVALISTA

Avivalista (n): um crente que é focado e apaixonado, disposto a pagar qualquer preço para amar em pureza e poder, pois são amados por Deus e amam Aquele que manifesta a Sua presença, transforma vidas e culturas.

  1. Um crente focado e apaixonado
  2. Disposto a pagar qualquer preço em pureza e poder
  3. Ama e carrega a presença de Deus por causa da sua intimidade com uma identidade no Pai, Filho e Espírito Santo;
  4. É discípulo e discipulado por outros;
  5. Lidera com coração de rei e cabeça de servo;
  6. Sabe, vive e propõe-se a crescer na Verdade;
  7. Tem profunda fé, portanto sinais e maravilhas o seguem;
  8. Ama os perdidos e a noiva de Cristo, a Sua igreja vencedora;
  9. Tendo experimentado a Graça, o seu caráter é marcado pela vocação, santidade, integridade e excelência;
  10. Ministra e vive em amizade, justamente relacionada à autoridade e comunidade.

ALUNOS INTERNACIONAIS

Temos o prazer de receber Estudantes internacionais. A presença de estudantes internacionais aumenta nossa consciência cultural e traz muita alegria, diversidade e os sons agradáveis de muitas línguas ao nosso ambiente.
Nossa escola é bilingue

PROCESSO DE ADMISSÃO

  • Apply for ESSM
  • Processo de Visto fora da Carta Schengen
  • Pagamento das taxas consulares e matricula escolar.
Em Breve pacote de
 ​informações
 para intercionais